Press Releases | November 22, 2018

Cimeira do Empreendedorismo: 8ª edição da Semana Global de Empreendedorismo 2018 chega ao fim

Photo Credit:

A cimeira foi divida em diferentes painéis iterativos, e contou com a presença de mais de 20 oradores, nos dois dias do Summit Entrepreneuship Weekend.

Estiveram na ordem do dia, temas dos painéis de debate como: “Falhar para ter sucesso”, “Marketing, A arte de vender”, “Tecnologia e Inovação”, “Desenvolvimento pessoal como facto de sucesso” e entre outros temas de discussão a volta do empreendedorismo em Cabo Verde.

Ao ver da oradora, Lúcia Cardoso, preparadora vocal, cantora e empreendedora na área social, os desafios do empreendedorismo versus desemprego no país constitui-se uma barreira mais para muitos jovens recém formados, ao mesmo isso constitui também dos jovens tornarem-se donos dos seus próprios negócios ao invés de dependerem unicamente do Governo à espera de emprego.

“Quando regressei do Brasil, após a minha licenciatura, deparei com a realidade de sempre – desemprego no país. Resolve, portanto, empreender e fundei a Casa da Música da Uni-CV. Depois disso estive na liderança da criação da primeira orquestra de Cabo Verde e atualmente resolve apostar na criação de ma empresa de cosméticos naturais. Comecei produzindo óleos cosméticos e depois passei a produzir sabonetes naturais uma vez que teve uma melhor aceitação do público”.

A empresa Badia Natural foi criada primeiramente na ilha de Santiago e esta quase tudo pronto para a abertura de mais uma empresa Badia Natural, desta vez na ilha da Boavista.

Ao longo da apresentação do painel sobre “Cultura, desporto e empreendedorismo “, a oradora, Lúcia Cardoso salientou o seguinte: “Ao criar esse pequeno e grande negócio o meu objcetivo foi criar oportunidades de trabalho as jovens mães desempregadas,  colmatando assim a temática do desemprego no país”.

O segundo painel de debate, intitulado “Falhar para ter sucesso”, a mentora e empreendedor, Sandra Correia, mostrou como sendo uma forte apoiante da ideia de que se as pessoas querem ser bons empreendedores devem sê-lo agora, o mais cedo possível.Por isso ela defende que deve-se criar aulas práticas nas salas de aulas, com laboratório de empreendedorismo, apostando desse modo na criação de pequenos negócios nas escolas, como forma de dar acção as ideias.

“Quanta mais cedo as pessoas lidarem com a área de empreendedorismo, mais experientes eles se se tornarão nesta área. As falhas sempre surgirão no mundo dos negócios, por isso deve-se ter em mente sempre que o negócio é o caminho da experimentação”. Acrescentou a mentora e empresária portuguesa, Sandra Correia.

 

No tocante ao painel denominado, “Falhar para ter sucesso”, o especialista de marketing pessoal, Rui Miguel Coelho apontou três pontos básicos sobre falhanços que contribuem para o crescimento do individuo enquanto empreendedor, dizendo o seguinte: “Aprendam a falhar cedo na vida, porque é uma grande oportunidade e assumam isso. Falham rápido e por último falhem sempre a pensar no futuro”.

O especialista de marketing pessoal, Rui Miguel Coelho defende essa ideia porque para ele não existe ninguém que nunca falhou, nenhuma organização é feita sem falha e só se falha quem esta disposto a crescer.

Loide Monteiro, fundadora da Associação Jovens Empresários de Cabo Verde encerrou o painel nomeado “Falhar para ter sucesso” apresentando o projecto Smart City, um projeto que visa urbanizar de uma forma inteligente a nossa cidade, senão o país em si. Em destaque, a engenheira civil, Loide Monteiro proferiu sobre o concurso que o grupo Loide Engenharia criou - Praia 2025 que objetivo dar oportunidades aos jovens de participarem no desenvolvimento das Cidades Inteligentes criando soluções inteligentes que melhoram a qualidade de vida das populações.

Estimular uma visão global a volta dos sectores convenientes para o desenvolvimento tecnológico de Cabo Verde e como se consome e como se produz a tecnologia no país foram alguns dos pontos discutidos durante o terceiro painel designado “Tecnologia e Inovação”. Os assuntos abordados em torno do painel “Tecnologia e Inovação” estiveram em sintonia com o lema do startup weekend deste ano - “Pense global mesmo sendo local”.

O último painel de debate, foi sobre “Marketing, A arte de se vender” e conforme os oradores desse painel, o consumidor tem se tornado cada vez mais exigente e o mundo digital mudou a forma como consumimos, pensamos sentimos.

“O digital é a ferramenta básica de comunicação entre o marketing e os clientes. E justamente por isso a massificação do marketing digital tem estado sempre a crescer e é um dos maiores em África - marketing no espaço virtual” disse, Hernidia Tavares, uma das oradoras do painel apresentado - “Marketing, A arte de se vender”.

Antes mesmo da venda acontecer no espaço físico ou virtual, o marketing traça os caminhos que devem ser seguidos até a fase de venda, e antes disso ocorrer é preciso ter o conhecimento do consumidor – o que eles querem – o que eles andam a procura. E nesse sentido é preciso muita confiança entre a marca e o consumidor para que haja um forte engajamento do processo de venda para com os clientes, frisou Hernidia Tavares, diretora de marketing da Cavibel.

O acto de encerramento da 8 ª Semana Global de Empreendedorismo foi proferido pelo Secretário do Estado de Cabo Verde Carlos Monteiro  e a Coordenadora da Semana Global de Empreendedorismo, Dilma Vieira, que agradeceu o engajamento de todas as pessoas e de todos os parceiros nesse oitavo evento sobre o empreendedorismo que visou essencialmente ampliar uma visão mais profunda sobre o empreendedorismo em todas as suas formas, mas também capacitar pessoas para a excelência enquanto empreendedores.

 

Diana Vieira

GEW

AJEC aims at sustainable development through actions that promote and stimulate entrepreneurship, innovation, productivity, competitiveness,… About the author