Blog | October 26, 2010

Primeiro Ministro encerra a 7º Edição do GEW 2016

Photo Credit:

O primeiro-ministro prometeu hoje aumentar, significativamente, o montante de 40.000 contos, já aprovado no Orçamento de Estado para 2017, destinado ao Fundo para o Empreendedorismo Jovem ,que começa a funcionar em Janeiro do próximo ano.

Ulisses Correia e Silva deu essa garantia em declarações à imprensa na Praia, depois de presidir ao encerramento oficial da 7ª Edição da Semana Global do Empreendedorismo, que decorreu de 14 a 20 de Novembro, com a realização de mais de duas centenas de actividades em todas as ilhas, sob o lema “Do sonho à realidade de ser empreendedor.

“O Fundo para o Empreendedorismo Jovem está orçado em 40.000 contos, mas vamos aumentá-lo, e eu creio que pode ser de uma forma significativa, ou seja, mais que duplicar, assim como vai ter uma taxa de juro relativamente baixa, de 3%, para aquele que quer empreender em pequenos negócios”, afirmou.

Segundo o chefe do Executivo, existe, também, o Fundo de Capital de Riscos, cujo montante ainda não está definido, mas que será “significativo”, visando alavancar projectos de maiores dimensões, juntamente com o Fundo de Garantias, que será criado, como forma de ter um “Estado muito mais eficiente e tenha uma atitude muito positiva”.

Ulisses Correia e Silva assegurou que os jovens empreendedores terão todo o apoio do Governo, que está com interesse e vontade de trabalhar ao seu lado, tendo em conta que “Cabo Verde só avançará se forem concretizados as vontades e o desejo de arriscar e de fazer negócio”, num ambiente favorável, com “impostos menos gravosos e com mecanismos de financiamento”.

Por outro lado, o governante considerou que é importante que os centros de formação profissionais estejam virados para a empregabilidade, ou seja, com formações orientadas para actividades onde há maior probabilidade dos jovens conseguirem emprego ou conseguirem empreender e ter uma actividade própria.

Neste sentido, o primeiro-ministro notou que o Governo identificou dois “grandes focos, o turismo com efeitos multiplicador sobre a economia, como agricultura, pesca, indústrias criativas, comércio e serviços, e a economia do mar que também tem actividade múltipla, incluindo pescas, desportos náuticos, reparação naval e formação.

Conforme explicou, todas as políticas públicas deverão ser convergentes para esses dois focos, incluindo a formação profissional, porque entendeu que só formando jovens “altamente” qualificados e capacitados para sectores em crescimento, será possível driblar o desemprego.

A 7ª edição da Semana Global do Empreendedorismo foi organizada pela Agência para o Desenvolvimento Empresarial e Inovação (ADEI), presidida por Francisco Lima Fortes, o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), liderado por Vargas Melo, e a Associação dos Jovens Empresários de Cabo Verde (AJEC), presidida por Paulo Cabral.

Inforpress